quarta-feira, 29 de outubro de 2008

SOLIDARIEDADE


*Marlei Alvarenga e Silva

Você sabe o que quer dizer essa palavra que soa tão leve, mas que se mostra forte?
Entre tantas traduções achei importante citar o sentido moral que vincula o individuo à vida, aos interesses e às responsabilidades dum grupo social, duma nação ou da própria humanidade.
A vida traz responsabilidades nem sempre aceitas pelo homem.
O universo oferece sonhos, consumos, prazeres, facilidades de aceitação garantidas.
Com isso, percebo o quanto o mundo precisa urgentemente de pessoas solidárias.
O sol que existe nessa palavra, tem que brilhar pra todos igualmente.
Somos prova do amor de Deus.
Na prática, não é o que acontece. Pois até o sol é tirado de algumas pessoas, quando lhes roubam a vida.
Estatutos dizem de direitos e deveres. Mas quem os aplica?
Qual é o interesse de homem em deixar, velhos, mulheres, crianças, morrerem de fome?
Por que uma pessoa acumula fortunas, sem notar o mendigo que dorme ao relento sobre um jornal?
Indústrias farmacêuticas manipulando as descobertas de cura com o interesse de aumentar seus ganhos na venda de remédios.
Negros ainda em trabalho escravo, sendo discriminado, o branco não lhe estende a mão.
Cor contagia?
Quem exerce a solidariedade, tem o sol brilhante na alma, é forte, sólido.
Não sucumbi à interesses mesquinhos.
Me dê a mão !!!! Aos poucos nosso grupo pode crescer, e nessa batalha, podemos não vencer a guerra, mas nos fortaleceremos ainda mais.
Façamos nossa parte, buscando a verdade, orientação, procurando sempre reconhecer os erros, assimilando os golpes.
Não fujamos dos compromissos difíceis.
Compartilhe a vivência do outro, entregue-se à bondade, chore, se emocione com um gesto de carinho, um abraço, desarme o coração.
Estenda sua mão.
Ela pode ser pequena, mas aos olhos de quem precisa, ela pode ter o tamanho do abismo e resgatar quem está no mais profundo dele.
Vamos à luta !!!!!!!!!!!!!!

Angélica Brio

Publicado no Recanto das Letras em 23/10/2008
Código do texto: T 1254721

*Marlei Alvarenga e Silva, poeta do "Recanto das Letras" com o pseudônimo de Angélica Brio: http://recantodasletras.uol.com.br/artigos/1254721

Um comentário:

Mena disse...

Júlio, esse texto de Marlei chama nossa atenção pelo cuidado que as pessoas devem ter umas para com as outras. É a questão da solidariedade humana. Mas vejo também que está faltando solidariedade para com a nossa Mãe-Terra em todos os aspectos. Dessa forma, esse texto trouxe o seu recado para o Blog "GÁS".
Um lindo dia solidário!